GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

DESDOBRA-ME

... dos seios quero a seda, não o tamanho... quero a pele macia para deles... fazer meus... ávidos de mãos que os agarram e apertam, de boca que os molha, lambe e xupa... quero-os apenas quentes e febris, ávidos de prazer e tesos, mais tesos do que o tesão de me vir neles...


me entrego a pensamentos
inverno em madrugadas
de mornos ventos
corpo em febril verão


me entrego a desejos
noites geladas
loucos momentos
de doce excitação


me entrego à sedução
que me lasca buril mente
deixa-me condenada
em ávida emoção
sentidamente


me entrego as curvas derrapantes
do teu pensar desejo seduzido
em noites delirantes
perco juízo


desse teu sentido
na meiguice teu olhar...
sorrindo


sem parar
fico a imaginar
A me sentir
Não pare
Estou quase atingindo
Quase a vir...
...
musa










LUMINOSIDADE


Tenho esse desejo de lábios, tenho esse desejo de beijos em luminosidade incandescente...das tuas bocas em muitos feitios, da boca que beija, chupa e suga, da boca que se abre e se contrai, que me inunda de prazeres escorridos e quentes até ás pernas, da boca que te doi de gatas... ao sabor do meu querer-te...

Tua boca...
Sim... Tua boca...
O desejo tomou conta de mim
ao imaginar beijar tua boca.

Sim...
Os meus lábios ainda pressentem
o próximo toque dos teus.

o corpo incandescente entre velas acesas em escuridão deitada
a cama incendiada pelas tuas mãos teus beijos de luz...
a seda da madrugada cobrindo nudez
a pele excitação que te seduz
de nua tez

não sei de quantos beijos é esse desejo
outros lábios sentem melhor
são lábios dessa boca o ensejo
de se abrir para te ter na sua flor
falo que deseja entrar no brejo
onde se afundar sem pudor

são esses lábios
esperando
esse teu
beijo 
...
musa

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

BOLERO

Ensina-me a cantar o teu bolero... ensina-me a ir ao mais intimo de ti e diz-me tudo para que desejes que por lá fique e que... ensina-me tudo de ti, até me suplicares para voltar e voltar... sabes que voltaria vezes sem conta...até me vir...


toca-me caixa de musica
perdida no tempo
e deixa eu cantar-te
meu bolero
sem hora momento
na pauta das tuas curvas de cio
deixa-me ser teu rio
na tua pele a brisa
sussurrar por entre folhas do desejo
ser ar que desliza
soprar de mim a flor minhas pétalas
cavalgar pelo teu peito erva
sem asco nem pejo
desse desejo que a mim reserva
passos sentindo o solo macio
deitar-me nesse caminhar
de encontro às curvas da noite
como quem caminha um rio
em louco cavalgar
salpicando passos molhados
no teu sal de pele
orvalho manhã emoção
a despejar olhos marejados
no cálice floral do meu ser
em deliciosa excitação
a esgueirar-se pelos teus dedos
abrindo a magia da flor
em gestos ledos
como leme sem tempo
de barca fulgor
velejando sem bússola
remando meu cio
em vela de vento
por todos os sentidos
presos num fio
na amurada do convés
de corpo nua
e me olhando
como quem pede
grávida lua
a seus pés
...
musa



segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

MEIAS SEDA NEGRA


tenho a excitação
nas pernas lavrada
meias negra seda
rota esburacada
as coxas perdição
em buracos negros
escondem a emoção
de te ter de medos
feitiço entrega
a fama de fios puxados
sem pudor sem regra
dos pés enfeitiçados
sobe até à flor
qual hera trepadeira
faz nelas amor
num samba ou coladeira
junta as tuas as minhas
nossas pernas entrançadas
do jeito que as tinhas
à mesa assim cruzadas
levo-te as meias pretas
gasta-as nas tuas mãos
rasga-as com a boca
sem que me prometas
de seda tira-me as meias
pois de imagens e de palavras
cimo das coxas já incendeias
...
musa

CORPO NEVADO

no corpo nevado
bruma imagem desce
nudez compassada
teu gosto gozado
no meu desfalece
a pele ensaboada

cumes e vales
por tuas mãos
voados
águia rasando
céus rasgados
asas esvoaçando

deslizas-me a pele
com tuas mãos embrumadas
adoças de mel
minhas ânsias provocadas

num banho de beijos
teu sémen escorre
calados desejos
que emoção escolhe
de espuma neve
do teu corpo
tenho sede
...
musa

ATÉ TE SENTIR

Queria descrever-me
Dos saltos de lince
Que por dentro me dás
Meu remo que atiças
Tuas mãos as pás
O teu dedo remando
Das velas que levanto
Das vezes que te tento
Das fúrias que remanso
Do teu cheiro que lembro
Na pele como vento
Vezes sem conta aqui
Os teus olhos em gozo
Teu corpo jangada
Teu peito sedoso
Convulsões que senti
Na boca amansada
As palavras eu calo
Qual hélice rodando
No vértice do nada
Ao leme teu falo
Invadindo margem
Prazer cansando
A dura viagem
Desejo invocado
Por dentro meu rio
Teu rio escorrendo
Outra vez a repetir
Por dentro morrendo
Até te sentir
musa

domingo, 24 de janeiro de 2010

SONHAS


sonhas
sonho
teu rio
minhas margens
invades
desaguas
nas muitas viagens
que faço de ti
ouso divagar
desejo
senti
teu penetrar
de beijo
lábios colados
corpos selados
onde esse tempo
contigo
onde o teu abrigo
para provar 
doce momento
no meu
teu
olhar
...
musa

INCITAÇÃO


profanas
espaços
sagrados
declamas
passos
ousados
no templo
contemplas
pecados
palavras
ofereçes
tua teia
teçes
e eu
profetisa
ouço teu murmurar
entrega emoção
teu doce versejar
de imagens explicitas
pura sedução
provocas incitas
ao teu pedido
na convulsão
de louco
sentido
...
musa

sábado, 23 de janeiro de 2010

DIVAGO

euforia sentidos gritos dor
intensidade e entrega
alegoria divago
tenho-me de ti 
nas minhas mãos
aflorado
senti-te
entregue na minha flor
meu olhar censurado
perdido e vago
provocado...


de imagens provocas 
sede de te ter
sedução
a musa invocas
louco prazer
colocas
paixão
meus sentidos
num primeiro acto
desejos acendidos
loucos viveres
como pacto
de quereres
prometidos
...
musa

LÁBIOS... CONSENTE

pela ausência dos sentidos...
que em mim trago
acordes
música
olhar
ilusão
fantasia da flor de jarro
lençois de seda lilás
em mim
lábios vermelhos
natural sedução
humidade fugaz
movimentos
longos e velhos
inquietos mas suaves
vindos de um tempo antigo
no pulsar quente
convulsiva excitação
teu secreto abrigo
desejo veemente
que só tu sabes
tirar de mim
humidade convertida
em morno mel
a jorrar
para a boca carmim
intenso despertar
de sentidos
fluidez voraz
na pele perdida
capaz
de loucos gemidos
gozas
deliras
vens
táctil vibrante
de corpo e mente
lambes
cheiros
savores
a rosas
odor estonteante
que teu querer
consente
ofegante
...
musa

NUM QUASE A VIR

Doce a tua escravatura... 
simples de abandono e permissão... 
apenas acedendo a desejos e caprichos...


e os sentidos reclamam TE
 em intensidade e entrega
terás o cheiro a mar como testemunha...
 depois quero apenas o cheiro de ti...
em mais do que um quase a vir

num quase a vir...
esgotas
rendida de palavras
sensuais imagens
provocas
e eu...
quero mais...

teus loucos gritos seriam
no puro nefasto prazer
desse  beijo incendiado
num quase vir quase ter
deixo-me em abandono
regresso de novo
pelas tuas mãos pesadas
indefectíveis teriam
as rendas já devassadas
rompendo-me a pele de carícias
como quem unhas crava
a carne da pele enlouquecida
brandas torturas delícias
num louco abandono
de meigas premissas
das tuas tão apetecida
eu tua escrava
tu o meu dono
vontade
pedida
...
musa

MAIS DO QUE

deixo que me ates 
na teia da tua intensidade
renda negra liga
mais do que corpo
quero alma
dos dois liga
no todo
de ti

 permito
acoplar
devoção
admito
querer
amar
paixão

pelo único
sentido
sedução
por ti

mais do que sentidos
quero imaginação
em partes
de ti

mais do que mãos
coxas cruzadas
quero tacto
desejo
ousadas
abstracto
intimidade
fendida
vontade
tua voz
rendida
ao meu 
afazer
submissa
temporal
querer
permissa
autoral
escrever
com tudo
possas
oferecer
...
musa

TEU PEDIDO

QUERIA EU

queria eu ser essa inspiração

queria eu

queria-te eu…

louca visão inspira-me
contrabaixo
profusão
em ti me encaixo
teu olhar atira-me
para o chão
em pleno excitar
pousas sedução
carícias a tua medida
ousas por meus desejos 
poder imaginar
e eu aqui perdida
por teus beijos
 a sonhar
...
musa

O QUE QUERES

quero as tuas palavras, sem as dizeres...
quero sentir os teus poemas... nos teus sentidos, dados e entregues...

o que queres de mim...

abusas sem tempo

aguardas momento

tens-me assim

de palavras

às tuas imagens

serei eu

o que queres

que seja
...
musa

POR TI



JARROS E ROSAS

Poemas escritos de desejos e divagações...
onde está a poetisa...que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos…
onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração?


...num ritmo desmesurado
como poetar-te no escuro
teu membro eréctil incendiado
pelo intenso prazer puro
descobres-te
meigo ardente falo
nas minhas mãos gozas
deliciado beijo que calo
nas arritmias veios profanos
de loucos versos e prosas
de tantos sentidos insanos
delírio da flor e do falo
entre jarros e rosas
...
musa



FAZES CORRER RIOS DE MIM

fazes correr rios de mim...

querer-te assim...
tal como me concedes vontade
num querer de palavras imagens
nua de privacidade

fazes-me sentir teu rio
e tu a água em mim
por um beijo

invades
irrompes
alagas
corres...

fazes-me querer-te sem fim
no teu desejo de mim
percorres

cavalgar-te dorso ventre
deixar que teu falo me entre
resvalar teus gemidos
provocar teus sentidos
ser tua à media luz

quero acoplar-te o todo
nesse brilho fulgor
que teu sentido produz
de puro intenso ardor
com que imagem seduz
teu nosso amor

carne desejo acendido
membro e vulva fundido

quero-te....
amor

FLOR RÓSEA

em desejos de entrega consentida
abro-te de mim flor sem tempo
como rédea solta sentida
a corda que segura alento
penetras invades adentro
num querer simbólico
momento
...
musa

VENDA

 veste-te com uma venda, apenas... e de nó apertado...
trás os restantes sentidos... somente levarei mãos que te roubam a intimidade, voz que te ordena submissões e o resto do corpo para as satisfazer...

poemas  a serem ditos de joelhos...interrompidos por submissões... penetrada e invadida,
entre mão, nádegas, lábios e coxas... lambidos sem tempo...

BEIJOS

beijos que te quero entregar de língua
porque  quero recebê-los de boca
carícias à tua medida
ousas por meus desejos 
de segredos imaginar
e eu aqui perdida
por teus beijos
sonhar

um rio a desaguar em ti
num olhar vertido
de teu falo esgotado
vejo sedução escorrer
entregue sentido
teu corpo dado
morrer

pela minha boca molhada
dos beijos que lhe roubaste
a pele húmida e lavrada
do que em prazer tiraste

lágrimas escorrem leitosas
que o teu olhar contem
gotículas doces cheirosas
que do teu rio provem
...
musa