GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

quinta-feira, 31 de março de 2011

ESPUMA DE SENTIDOS

Doce banho de afectos
Amor feito de água e espuma
Nossos sentidos predilectos
Carícia a carícia uma a uma
Nuvens de sabão
Escondem tesão
Em alvura bruma
Loucura de sentidos em espuma
Brancura escuma

Corpos molhados de dedicação
Ensaboados de desassossego
Poro a poro húmida excitação
Trémulos rendidos tímido medo
Em desinquieta libertação
Banho de amor e sabão

Por debaixo da espuma a penetração
Acontece discreta profunda secreta
Lentamente descendo em emoção
Corre rio inundando a flor aberta
No teu colo sentada afundando
A pele amada o corpo completo
Em espuma me deliciando
De prazer repleto
Amando
musa

quarta-feira, 30 de março de 2011

FALO DO MARQUÊS

Saudades tuas
Percorrer teu corpo inocente
Fervendo nas minhas mãos nuas
A tua pele salgada e quente
A tez morena feita de cetim
Teu olhar que ainda não conheço
Tua meiga voz presa em mim
Teu beijo onde desfaleço
E quero ficar até ao fim
Teu falo que não esqueço
E calo por dentro
Este meu alento
Súplica sentida
Atrevida

Quero-te outra vez

Entregue consentida

No mesmo lugar talvez
Onde tanto te senti
E em desejo pedi
Teu falo adentro
No momento
De te sentir
Quase vir
Fluir

Éramos os dois num só inteiro

Eu a tinta tu a pena e o tinteiro

Abocanhados entregues submissos
Sexos empapados suados ouriços
A derme eriçada de louco prazer
Em febre escaldante de loucura
Por fim deixamos acontecer
Nosso enlace de ternura
Nossa derradeira aventura
Desfeita em doce tesão
Assumida procura
Eleita iniciação
Paixão de amantes
Próximos distantes
Doidos de emoção
Apaixonantes
musa

terça-feira, 29 de março de 2011

RECONHECIMENTO STILISH BLOGGER AWARDx


I thank you TESUDO for this gift, remind this blog I like it:

7 things about me:
Rebelde - Rebellious
Tímida - Shy
Sensível - Tender
Ousada -  Daring
Misteriosa - Enigmatic
Sincera - Sincere
Carinhosa – Sweet

 About other blogs I chose this one’s:
http://desejosardentesdeumafemea.blogspot.com/?zx=d251ead806e5562f

DESNUDO

DESNUDO
http://desnvdo.blogspot.com/
A UN HOMBRE MISTERIOSO SENSUAL..
Para um homem desnudado
Outro corpo em nudez
Nas traseiras colado
Em terna embriaguez
Dócil enamorado
Pura altivez
Ousado

Corpo desnudo
Membro tesudo
Sortudo
Sensual

Pele com pele colossal
Esse misterioso sedutor
Derme maciça doce sal
Cascata de tesão e suor

Homem desnudo despido
Da vontade doçura flor
Ansiedade sentido
Prazer amor
Desmedido
Loucura

Das sombras ternura
Peles coladas ardentes
Monumento formosura
Que do meu consentes
Ardendo em paixão
Fluidos e tesão
Meiga loucura
Doce emulsão
Dos dois

Para depois
Fundidos unidos
Ofereço em Lotus a flor
A mão guiada em ousadia
Como o poema a compor
Ofereço-te tesuda poesia
Para ti….
DESNUDO & DESNUDA
Fantasia…
musa

segunda-feira, 28 de março de 2011

MOLHADOS

Nossos corpos de gotas salpicados
Entregues ao tempo das conquistas
As peles húmidas molhados
E eu… pedindo não desistas

Sabes o quanto te amo
Por ti o sentir declamo
Em arrojada poesia
E não é fantasia
Todo este sentir
Bramir

É o corpo que queima
Em tesão incendiado
O sexo que teima
Ficar molhado
A cada toque teu
Levas-me ao céu
Fazes-me sentir
Deixar a terra
E partir

Não sei se a alma erra
Ao querer-te prisioneiro
Neste corpo companheiro
De tanto prazer vencido
De tanto amor consentido
De tanto gozo pedido

Molhados de chuva e tempo
Marcados de sinais de pele
De amor feito incondicional
Em loucura sentimento
Tão de fel como de mel
Às vezes irracional
Às vezes vendaval
Tormenta
Vento

Em brisas de súplica e choro
Sem qualquer decoro
Como nunca senti
Agarro-me a ti
Peço-te não vás
Não me deixes aqui

Tenho o corpo a arder
Sinto-me capaz
De morrer
De prazer
De chover
Faço-me
Teu rio

E toda inflamada em cio
Pela chuva acariciada
Sinto a tua pele suada
O teu falo desinquieto
Pelo meu olhar desperto
Com vontade de chover
E os dois molhados
Doidos abraçados
Gozar de prazer
musa

domingo, 27 de março de 2011

SEDA TENTAÇÃO

Maça de Adão
Pele seduzida
Doce tentação
Seda sentida
Carícia na pele
Provando desejo
Que fogo degele
Ardente beijo
Amor impele
Perturbador
Olhar nivele
Doido sedutor
Os dois às cegas
Quase perdidos
Sem leis nem regras
Provamos sentidos
Em seda nudez
Fogosa cegueira
Suor na tez
Pela brincadeira
Jogamos à vez
A maça trincada
Namoradeira
Acetinada
Provas o pecado
Sem dar por nada
Afogueado
Mordes a maça
Partilhas o pedaço
A língua tecelã
Tece desassossego
Faz da noite manhã
Envolta em segredo
Feito pele e seda
Cegueira e feitiço
Chama labareda
Terno compromisso
Nos incendiando
Nos excitando
Êxtase sentir
Seda maça
Faz consentir
Ternura vã
Juízo ruir
Fogo romã
Sangue fluir
Desejo aceso
Ainda preso
Nos faz pedir
Meu teu tesão
Um sim um não
...
musa

sábado, 26 de março de 2011

GOTAS DE MEL


Era só uma gota

Escorria pingando
Dos lábios pegajosos
Poesia melando
Lábios desejosos
De serem
Cálice
Do teu néctar
Verterem
Gotas
Escorrendo
Sangrando
Ardendo
Tombando
Da boca
Adoçada
Mel puro

Força esbranquiçada
Do teu sexo duro
Entre as mãos e a boca
A flor do corpo e o olhar
E a deixares-me louca
De assim me penetrar
E o mel a escorrer
Dum sorriso fechado
A verter de prazer
O desejo provocado
Em doce tentação
Suave penetração
Louco tesão
Atiçado
musa

sexta-feira, 25 de março de 2011

DEDO A DEDO

Prende-te dedo a dedo
Lábios e unhas sedução
Digo-te ao ouvido
Lascivo segredo
Louco tesão
Sentido

E não é o dedo que tu queres
Dentro da minha boca
Dos meus lábios
Vermelhos
A toca

Onde em segredo te vens esconder
Túrgido possante delirante teso
Incendiado excitado a arder
Na loucura desse fogo aceso
Deixas boca lábios a tremer
Em tesão dedo a dedo preso
E por dentro todo a gemer
Dum olhar guloso ileso
Derramando prazer

Dedo a dedo chupado
Mel do vulcão explodindo
Sobre a mão molhada
E o olhar pedindo
A boca fechada
Sobre o falo
Gozado

Por dentro calo
Furor provocado
Por esse amor queimado
Feito por fazer
Deixado acontecer
Dedo a dedo saboreado
Mel dos dois degustado
Mão na boca
Mão no sexo
Deixas me louca
Nesse amplexo
Dedilhando divinal
Nosso gosto doce a sal
Provados e rendidos
Explodimos de sentidos
Onde o tesão
Foi emoção
Colossal
musa