GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

domingo, 30 de outubro de 2011

VEM

Prometo dar-te a noite
Na minha pele obscurecida
Fazer dela um universo
Distante perdida
Só para ti

Prometo ensinar-te
A entrada e a saída
E no cabelo disperso
Rédeas de uma constelação
Feitas de rimas em verso
Desejo e de tesão
Por ti

Prometo guiar-te
Na sensualidade que senti
Caminhos da doce mão
Sobre corpo ardente
Louco de paixão
Pele suada e quente
E na noite amar-te
De amor excitação
De ti

Prometo prometer
O que está prometido
Coroar-te de prazer
Desse louco sentido

Vem
Ser a estrela com mais brilho
Brilhar tua luz de amante
Prometo ensinar-te o trilho
Que te levará mais adiante
musa

DOIS CORPOS UMA ALMA

Somos dois corpos numa só alma
Anima faminta de carne e sentidos
Tudo o que possa compartir
Em suor beijos fluidos
Um único sentir

Uma alma de intenso tesão
Sexos retesados de desejo
A flor e o falo excitação
No prelo batido beijo
Impresso sedução
Mão a mão

Toque carícia loucura
Bailado da penetração
Dança do encantamento
Suave ternura
Momento
Emoção

Encaixe perfeito
Do teu corpo no meu peito
Deitados sobre o leito
Gozados de prazer
É a alma possuída
A carne a estremecer
A vontade assistida
De todo esse querer
Amada sentida
Dada a beber
Consentida
musa

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

MÃO NO SONHO

(a um encantador de além-mar)

Sussurraram ao seu ouvido
Para ser raptada ao sonhar
Leve minha mão ao sentido
Que minha pele possa tocar

Em nudez pálida e macia
Dança de mãos sobre a pele
Trémula suave húmida fria
Cheirosa de rosas e doce mel

A minha mão agarrada
Com a tua conduzida
Sobre a pele perfumada
Docemente consentida

Em sonhos por ti raptada
Atravessando além-mar
Barbaramente encantada
Para que possa lhe amar

Será que o Santo tinha razão
Pregando toda esta sensualidade
De carinho loucura e sedução
No caminho dessa virtualidade
musa

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

FÁLICO ABRAÇO

Entre mãos incontidas
Ergue-se fálico beijo
Doces investidas
Do teu desejo
Sensualidades 
Sentidas
Suaves

Endurece
Estremece
Desfalece

Eréctil duro se assanha
Minha vontade tamanha
Que a ferros arranha
Toda esta louca vontade
No amansar do teu querer
Em investidas de ansiedade
Gozo a gozo de prazer
No encalço do teu cheiro
Com sabor a liberdade
Como flor de um canteiro
Entre as mãos abraçada
Na sua vivacidade
Das sombras latejante
Fálica serpente encantada
No meu corpo rastejante
Brota sua seiva delicada
No afecto do ventre quente
De fluído leitoso e branco
Escorre ejaculando a semente
Sobre a pele doce manto
Que em delírio já sente
Toda a sedução em espanto
No sufoco da excitação
Quase perturbante
Todo esse tesão
Delirante
musa

DELEITURAS

A alma pede as palavras
Deleites ousados
Leituras compaginadas
Sentidos provocados
Dançam no olhar
Desliza erótica a mão
Folha a folha acariciada
Olhos devoram sedução
Mãos na pele acetinada
Jogo de prazer
Papel e seda pura
Fazem a pele estremecer
Imaginando a loucura
Todo o tesão paginado
Um livro por abrir
Desejo provocado
Muito antes de o sentir
Em deleite descrito
Quase um rito
Deixo-me ler
Doce leitura
Feita prazer
Feita loucura
musa

terça-feira, 25 de outubro de 2011

BRANCO TULE NEGRO DESEJO

Fomos os dois a unidade
Abraçados depois do amor
Frente ao mar num fim de tarde
Frio do tempo dos corpos o calor
Como achas de um desejo que arde
Em fogueira de intenso prazer
Chamas de incontido amor
Que eu fiz por merecer
Caule e pétalas flor
Por florescer

Os dois corpos unidos
Num enlace de paixão
Envoltos em sentidos
De prazer e sedução

Dois corpos de um desejo satisfeito
Na plenitude do sentir cumprido
Das entranhas da boca ao peito
Na penetração do sexo consentido

Sempre dizes que não voltas mais
Certo é que solicitas essa loucura
Num duelo de vontades punhais
De afagos beijos carícias ternura

E na envolvência de tules e de pele
Voltamos a enrolar-nos amantes
Partilhando fluidos de doce mel
Entregues a sentidos tão distantes
musa

Feliz Aniversário

domingo, 23 de outubro de 2011

INTENSIDADE DO SENTIR

Sei que não és só falo
Não és só fauno
Talvez homem

Quando me dizes:
“Mas tu és grande no sentir no viver …
Puxo-te para mim, por eles… com intensidade
… e depois abraço-te para te sentir respirar…”

Sentir do verbo amar
Ainda que o lado obscuro da lua
Comprometa todo esse sentir
Esse teu querer-me só e nua
Seja o teu falo a pedir
O meu lado iluminado

Ainda que o meu olhar provocado
Seja somente a imaginação
Parte do teu querer
O desejo incendiado
De luxúria tesão
Inflamado prazer
Sem um pingo de paixão
Em vibrante estremecer
Assim deixado acontecer
Sem receio sem temer
O lado obscuro da provocação

Existe a intensidade do abraço
Existe o aproximar do olhar
Existe o tocar das bocas

Imaginação
Horas insanas e loucas
Que eu faço e desfaço
Numa teia de tear
Imaginando esse abraço
Apertado até me cansar
Até te sentir
Sem ter que te pedir
Sem ter que implorar
musa

sábado, 22 de outubro de 2011

MANUAL DO SENTIR

Excitação sentida
Nos dedos invocado cio
Leitura consentida
Em manual do sentir
Massajar suave
Fazendo correr o rio
Até alcançar o vir
Em doida vontade
Louco tesão
Clitórico prazer
Húmida erecção
Vibrar estremecer
Orgasmo intenso
Fluido da paixão
Desejo imenso
Voltar a sentir
Querer vir e vir
Imaginar tua boca
Imaginar tua mão
Imaginar teu mastro
Essa imagem louca
Pura sedução
Ondas onde alastro
Orgasmos mais e mais
Corpo e mente como punhais
Pele suada brilho alabastro
Ousadia consentir
No tacto dos dedos teu ser
Em gemidos te pedir
Sussurros doce latir
Mais e mais teu prazer
musa

LUXÚRIA DO BEIJO

AO MEU MARQUÊS DESEJADO

“Quero estar contigo e fazer tudo o que ainda não fizemos… quero que te venhas na minha boca… sentir a minha boca molhada com o teu sabor”

Mergulho no teu desejo
Assim desejada
Percorro o prazer
Imaginando o beijo
O corpo a tremer
A pele abrasada
A boca a estremecer
Quente e suada
Nosso desejo
Doce ensejo
Enlaçados

Os dois abraçados
Num abraço inteiro
Num enlace certeiro
Num beijo braseiro
Queima-nos a mente
Arde a pele de tesão
Húmida caverna consente
O fogo da tua mão
Vibrar em chamas delírio
Acordado o vulcão martírio
Da tua mão à tua boca
Fazes-me vir e vir
Deixas-me louca
Desse sentir
musa

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

BAILADO DE ANCAS

Vou cavalgar-te
Potro selvagem
Balançar quadris
Levar-te numa viagem
Fazer-te feliz
Vou dar-te os cabelos
Seguros na tua mão
A minha crina
Soltos em sedução
Meus sentidos perdê-los
Afagos de doce menina
E no teu olhar a tê-los
Balanço de ancas e peito
Que de desejo fulmina
Em prado verde do leito
Neles selvagens quero vê-los
Olhar onde cavalgo e me deito
Bailado de ancas
Duas alavancas
Fazem teu ritmo intenso
Em louco cavalgar
Garupa loucura
Fazes vibrar
Meu desejo imenso
Dança de ternura
Corrida excitação
No teu colo me perder
Gozando o teu tesão
Em dança de prazer
Deixar acontecer
Louca emoção
musa

DANÇA NO VARÃO

Danço no teu instinto
Contorcionista
Malabarista
Ilusionista
Danço de olhar faminto
No teu falo erecto
As mãos deslizam
Sobem e escorregam
Num vaivém secreto
Teus sonhos realizam
E a outras doçuras se entregam
Em luxúria e desejo desperto
E a outros tantos sentidos
Corpo e mente perdidos
Em rubra sensualidade
Doces movimentos consentidos
Numa dança de liberdade
Corpo em nudez proibida
Arrebata na dança o prazer
Exalta na forma apetecida
Contornos do corpo a tremer
Em suavidade excitação
Erecto duro tesão
Essa dança do varão
musa

sábado, 15 de outubro de 2011

QUARTO DE LIMÃO

Complicado sentir
Eriçado saliente
O bico duro
A ressurgir
Excitado
Quente

Quarto de limão
Pingando
Tesão
Em pele arrepiada
Todo corpo delirando
A derme provocada
Em acidez limonada
Pele com pele suando
Mamilo erecto
Tesão desperto
Sentido aberto
Em pingos frios
Gota a gota de prazer
Fazendo da gruta correr rios
Sumo do limão a escorrer
Em doce tentação
Ácida loucura
Do bico do ser
Húmida emoção
Afável ternura
Louca sensação
Intenso tremer
musa

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

MOTO DO DESEJO

Essa musa de duas rodas
Deslizando na espinha do teu ser
Cada vez que me provas
Num rally de prazer
E de beijos comprovas
Toda a pele a ranger
Todo o corpo a tremer
Todo o olhar a querer
De acordes e trovas
Fazes comprometer
Cio excitação
Montado tesão
Máquina do desejo
Afinada por um beijo
Doido de ilusão

Nenhuma moto é uma musa
Por mais que te seja paixão
Por mais que ela te inspire
Te dê adrenalina e tusa
Teimando e transpire
Velocidade alucinante
O teu corpo em reacção
Dominado dominante
Feito de metal em fusão
Inox e brilho luzindo
No seu dorso te sentindo
Louca frenética sensação
A rolar por aí
Aqui e ali
Feita motoqueira
Adornos de cabedal
Leal companheira
De odor corporal
Moto do desejo
Viagem de um beijo
Que sobre mim almejo
musa

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

LÓBULO ENVOLVENTE


Daqui do lugar
Onde desejo é lembrado
O teu segredo é contado
Em envolvente sussurrar

Na tua orelha
Levemente mordiscada
Suavemente trincada
Quente centelha

Entre dentes
Na ponta da língua humedecida
Nos lábios beijada entontecida
Como só tu sentes

Pequeno segredo da anatomia
Esquisso de intenso prazer
Mole sensível poesia
Que tanto faz tremer
Teu juízo perfeito
Numa mordida provocada
Caminho até ao teu peito
Em deleite consagrada
Na tua pele eu me deito
No teu desejo por mim
Num beijo de orelha lambido
Nesse afago consentido
Em veludo carmim
Meus lábios impressos molhados
Em loucura tentação
Escrevendo versos ousados
Numa mordida sedução
Confesso-te todo o meu desejo
No teu lóbulo envolvente
Mordisco-te em doce beijo
Que a tua pele me consente
musa