GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

terça-feira, 18 de maio de 2010

PRAZER HÚMIDO

Comecei no teu olhar
húmida gota perdida
deslizando a brilhar
cheguei ao ponto de partida


Na tua boca cresci de beijos quentes
num bailado de línguas sequiosas
enroladas húmidas ardentes
em doces danças desejosas


Água em fogo salgada
mil poros foram crescendo
outras gotas da gota provocada
na húmida pele foram nascendo


E a nascente de prazer explosão
língua a língua tacto a tacto
foram engrossando caudal tesão
até representarmos o primeiro acto


E do ribeiro de nós dois
tal a fome de corpo e alma
margens transbordamos para depois
nos amarmos em pleno gozo e calma


Rio já somos colados um no outro
pele com pele fundida liga aço
deste amor prazer que nos sabe a pouco
na turbulência leito onde rio me faço


E chego ao mar na foz do teu querer
de doce a salgada pelo prazer atingido
morro-me água do orgasmo viver
em oceano loucura pelos dois sentido


Água imensa em corpo paixão
espelho azul ninho de outros olhares
brincas flor de lótus tímida sedução
carícias preliminares vagas cansares


Provocas convulsivo rio enchente
múltiplos orgasmos em teu mastro teso
incendeias clitórico fogo lentamente
desmedido prazer em teu olhar preso


Meigo tesão em fúria incontida
somos ribeiro rio mar fusão
sensualidade líquida desprendida
em gotas prenhes orvalho provocação
...
musa

2 comentários:

silvioafonso disse...

.

Eu não quero se não for entre os teus
braços. Eu não volto se não for para
um beijo longo.
Eu não saio se estiver entre as tuas
pernas, mas se tu perderes a cabeça
antes que eu perca a minha, eu te tomo
em minha vida como a águia toma o
pombo e, pena para que te quero...

silvioafonso.








.

MUSA RENASCENTISTA disse...

... e o rio de penas escorre os mesmos fluídos ardentes das lágrimas dos sentidos...