GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

terça-feira, 10 de setembro de 2019

ALQUIMIA

ALQUIMIA 

Pensamento despido
Gozo da manhã 
Íntimo devaneio
Excitado enleio
Secreto sentido
Rubro de romã 

A gotejar da mão 
Como se fora o peito
Desejo perfeito
Docilidade vã 
Excitação 
Sedutora

Cúmplice alquimia
Provocadora 
Entre os dedos
Chuva malícia 
Doce delícia
Louca fantasia

E eu aqui a pensar…
Como será nesse instante
O teu olhar
De amante
musa

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

AMORES IMPERFEITOS

AMORES IMPERFEITOS

Imperfeito
Ou impossível
Imponderável
Louca paixão de sentir
Desassossego no peito
Tão invisível
Intolerável
Loucura a invadir

Corpo sem jeito
Todo o corpo a estremecer

Corpo a corpo no leito
Qualquer coisa a explodir
Gozo prazer
Mãos a emergir
Do íntimo beijo
Que começa húmido molhado
Quente aguado
Dócil desejo
Inundando sentidos
Provocando gemidos


"Há música nos suspiros dos amantes, nos gemidos murmurados, nos gritos abafados de prazer..."

Gozo incitação
ou a subtil iniciação
aos insanos prazeres carnais
há tanto mar como litorais
entre contornos de beijos sem limite
ou desejos por explorar
Ao alcance de um olhar
E a boca admite


"ao alcance de um olhar...
ao alcance dos dedos...
dos lábios...

do corpo...

insanos?... talvez...  mas divinos certamente..."

...

musa & Adonis

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

SOMOS

SOMOS

A ser paixão
Persistência
União
Essência
Indivisível cumplicidade

Do que somos
Do que fomos
Até à eternidade 

Somos a imprevisível vontade
Indecifráveis caminhos a seguir
A sombra na luz intimidade
O silêncio a desistir
Indubitável saudade

Das tardes de memória
Em explosão de sentidos
Somos gritos e gemidos
Excitação e fluídos
Sedução leito e história
De corpos despidos

Somos partículas de tempo
Átomos de loucura e querer
A tortura do prazer
Infinito sentimento
Na pele a endoidecer 
...
musa 

terça-feira, 3 de setembro de 2019

LOUCA PENETRAÇÃO

LOUCA PENETRAÇÃO

Podem demorar 
Todos os silêncios 
Em perdidos versos 
Todos os gritos êxtase
Da alma submersos
Na louca penetração
O tempo parado
No olhar encadeado
O corpo ondeado
Pura excitação
Loucura prazer

Dos sentidos
A manhã a escorrer
Penumbral poesia
A carnal magia
Doido estremecer
Terna euforia
Meigo querer
Louca ousadia
Mágico entender
Sussurros gemidos

A mesma saudade
Na cama desfeita de luz
No silêncio da escuridão
A boca conduz 
Como se fora ontem que te vi
No orgasmo que senti
O silêncio da mão
No manso caminhar
Do húmido olhar
A mesma excitação
Dócil sedução
Sem parar
...
musa

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

MINHA ÚNICA PAIXÃO


Ao JC... a minha única paixão...
Podem palavras silêncios versos outra vez
Trazer de volta as tardes que vivemos
Para sempre talvez
As sombras que soubemos
Desenhar húmidas no lençol do tempo
Em temporal de sedução
Com beijos de momento
Minha única paixão
E dos segredos que dissemos
Somente em pensamento
Loucura excitação
Da pele que despíamos de prazer
Das horas a passar
Gozo contentamento
De mel sabíamos o bem querer
Demoras no olhar
Tremúlos lábios a endoidecer
Das bocas por beijar
Secretos amantes
talvez um dia possas voltar
E ainda que distantes
De silêncio o amor
Inquietante perturbador
Quase respirar
Sem fim 
Longe longe
Sempre em mim
...
musa

COMO SERÁ O TEU BEIJO


COMO SERÁ O TEU BEIJO?
Tem o desejo
Caminhos e desorientações
O subtil enleio de um beijo
Trilhos atalhos divagações
Envolventes teias prevejo
Nas linhas do verso o ritual
Entrelinhas palavras cogitações
A doce teia sensual
Águas agitadas da nascente
Rios de seduzir
Desorientadamente
Em tentações até ao mar
Pássaros que não voam
Leve anseio de sentir
Murmúrios onde ecoam
Dedos que se colam em lábios por beijar
...
musa

FESTA DO SILÊNCIO

FESTA DO SILÊNCIO

Que festa faz o silêncio
Na pele mortificada de desejo
A sombra sacrificada
Luz em chamas de um beijo
Fogo de carícias a explodir 
De insana e louca vontade
De luxúria e sensualidade
Na festa dos sentidos e do sentir
Na fogueira da intimidade
Dois corpos a esgrimir
Braseiro de saudade
E assim se ficam pelo tempo
De silêncio a testemunhar
O gozo prazer do olhar
Em silente lamento
Do que nunca mais puderam repetir
...
musa

sábado, 31 de agosto de 2019

TARDE POEMA

 TARDE POEMA

Tão tarde se faz
 Tão tarde se fez
Tão tarde talvez

Vontade febril e voraz
Doido querer 
E a tarde ao entardecer
Vai talvez lembrar 
O quanto morremos de prazer
Quanto da tarde se ficou no nosso olhar
E das bocas de beijos a endoidecer
E toda a pele a vibrar
Cansada e tardia
Tardiamente poesia

Da tarde dos corpos todos os medos
E sonhos torpes enredados nos dedos
E lábios sequiosos pela tarde
Loucura ternura serena
No silêncio penumbral
Versos de segredos
Na intimidade carnal
Ainda arde
O poema
...
musa

ÊXTASE DA POESIA

ÊXTASE DA POESIA

Este desejo de intimidade
Flor de medo em rara paixão
Gozo de beijo sensualidade
Sombra segredo tara tesão

Esta vontade de tanta loucura
Cumplicidade discreta aventura
Silêncio dos versos em doce sedução
Que tempo reescreve dor e tortura

Espiritual entender
Sentimento e doçura
Carnal prazer
Pénis e vagina em sintonia
 Verso de querer em louca fantasia
Que tempo algum apaga em nós
Guardamos no silêncio da voz
O grito mudo do êxtase da poesia 
...
musa

domingo, 25 de agosto de 2019

VOLTA

VOLTA

Por mais voltas que a vida der
A volúpia sensual das tardes intensas
Em que por horas me fizeste sentir tão mulher
Gozo de paixão em carícias imensas
Vontade excitação prazer

Sexo sem demoras em louca intimidade
A roupa que despíamos a respirar
No fogo aceso de sensualidade
Ardente tortura de corpos a ofegar

Mel da boca em chamas o olhar
Tão húmida quentura
Tão secreta aventura
E o silêncio do orgasmo lento
Memórias de volta ao tempo
A nossa maior loucura
Ainda no pensamento
...
musa

sábado, 24 de agosto de 2019

AMOR POR DESESPERO


AMOR POR DESESPERO

Amor por desespero
A calmaria
Ou simplesmente desprezo
A meiga amarga litania
A dor o destempero
O fogo aceso
A dura poesia
Sonho insincero
A lenta agonia
De sofrer
Em silêncio sem saber
Qual o conflito ou razão
O íntimo delito ou a ilusão
Do não querer
Ouvir e sentir
Sem permitir
Sem entender
Sem desilusão
O olhar incendiado
De mágoas sem palavras
Ásperas e bravas
Silenciadas
O suspiro lento desesperado
Todo o corpo cansado
As mãos fechadas
E o punho cerrado
E a alma adormecida
No leito da vida
Chamas vivas
A arder o olhar
Memórias tão sentidas
De negação
Em ferida paixão
Ainda por curar
...
musa

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

PAIXÃO RENASCIDA


PAIXÃO RENASCIDA 

Procura a mão carregada de esperar
Gasta acesa de lume a ferver
Humedecida molhada a ofegar
Loucura excitação profundidade prazer

Cansada de saudade e de tempo
De lentos ventos vadios
De intimidade e de sofrimento
De secretos gestos silenciados e sombrios

A mão de noites e de segredos
A cintilar silêncios e cio 
No arrepiar dos lençóis lavados
Nas rugas e nos relevos
A latejar desejo bravio 
Enternecidos nos dedos
Íntimos pecados

As nossas mãos há tanto tempo separadas
Despidas de palavras desencontradas
E no olhar mudo o silêncio ainda
Por enfeitiçar e dizer

De todos os feitiços a mesma mão
De paixão renascida
A sombra da vida
Sensual mortificação
Ritual de sentir
Endoidecer
Sem razão
Sem pedir
Sem querer
...
musa

TRÉMULA A BOCA


TRÉMULA A BOCA

Rosa enfurecida
Por desabrochar
Pétala de vida
Seiva olhar

Agitado estremecer
Ainda a gotejar
A escorrer

Indecente
Trémula a boca
Húmida ardente
Pele quente
Língua louca
De prazer

Todo um cenário imaginado
Íntimo provocado
Reencontro a acontecer
Súplica de vontade
Gozo sufocado
Doido querer
Saudade
...
musa

SILÊNCIO SÚPLICA


SILÊNCIO SÚPLICA

Sensual o gesto
Despudurado
O gozo bravo
De sentir

Súplica da pele nua
Silêncio tímido fervor
Corpo que sua
Estremecer
De amor

Ou a paixão do prazer
Sexos humedecidos
Silenciado querer
Doidos sentidos
...
musa

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

APELAÇÃO

APELAÇÃO

O meu corpo secou
Tímido solitário o segredo 
De ausência os beijos tristes
Demora o desassossego
 Em que insistes 
Ver no mais fundo olhar
O barco que se afundou
Dor de tanto chorar
A doida apelação

Todo o corpo é já aridez
É ânsia é grito é negação
É a loucura da insana razão
Intimidade e altivez
Ou a tamanha solidão
Dos lençóis vazios 
De beijos e de nudez

E os mais discretos desejos a apelar
Melancólicos e sombrios
Todo o corpo que é agora frio de sentir
Os mais secretos sentidos a negar
Apelando a sofrer e a ferir
A carne a alma a pele a ofegar
Da tua boca que não mais soube pedir
...
musa

segunda-feira, 22 de abril de 2019

SONETOS DE AMOR


Feliz aniversário, ao JC ...

CONFESSO AMOR

Que o meu coração se apague de tristeza
Por quanto de silêncio na distância
Que a pensar se corrói de incerteza
A pensar se mortifica na inerrância

Da treva com que ergue o sofrimento
No rosto carregado perturbador
Húmido o olhar todo ele é lamento
Trazendo nos lábios a dócil dor

Mortifica-se de segredo e de paixão
Cruel o amor assim escondido
O encerra em si como num caixão

Piedoso e paciente o coração serena
A alma que se esvai no triste sentido
E confessa todo o amor no poema
...
musa

GRITO DE AMOR

É manhã fria na luz ausente demorada
Num silêncio que surpreende quase pranto
Névoa sombria seduz a triste alvorada
Amanhece tecida de orvalho e espanto

Numa tristeza algo ausente que arrefece
E o corpo todo num abandono que faz doer
Toda a alma se entrega e desfalece
No olhar humedecido a entristecer

Acontece assim a manhã envolta em neblina
Húmida de lágrimas de amor a cair
Paixão sem fim é o que a vida lhe destina

E por certo tanto sofrimento
Guarda dentro de si silenciado sentir
Quando a madrugada grita já o seu lamento
...
musa

SILÊNCIO DE AMOR

Não me apagues a tristeza, não me apagues
Rendida assim a este sensível sofrimento
Que dos meus olhos folha ao meio rasgues
Como quem divide a alma em pensamento

Se a vida quero e deste amor desespero
E em silêncio o sofrer na divisão do peito
Lateja ardente no desejo sincero
Inconfessável oculto e insuspeito

O é o amor insuportável e impossível
Que a viver da carnal paixão
Arde lamentável e inverossímil

Ele que foi beijos, afagos e um silêncio ternura
E teve do corpo inteiro o peso de uma mão
Um dedo encostado à boca a calar a loucura
...
musa
https://youtu.be/wbNIrU1ffkI

domingo, 23 de dezembro de 2018

MORRER DE PAIXÃO


MORRER DE PAIXÃO
O amor mata-nos
Ignora a aventura
Instante de sonho e loucura
A amante desventura
Aniquila por dentro a sedução
A sedutora vontade de provocar
Seduzindo por palavras ou pelo olhar
Essa intimidade provocação
Porém a incerteza
Se é justo morrer de paixão
Definhar de lágrimas na aspereza
De uma vida de angústia e desilusão
E o terrível compromisso sofredor
De viver um solitário amor
E deixar versos em confissão
De um sentimento não correspondido
De tanta poesia escondida para além dos limites
De um sentir iludido
Um fulgor infinito
Uma lágrima de melancolia
Um grito
Deixar-me dizer se o permites
Será tempo perdido?
A quem importa morrer de paixão sem cumplicidade
Ou viver num sentir escondido
Jurar pela eternidade
Tempo de silêncio e sentido
Juras de amor e de saudade
Uma morte lenta e serena
Tão sincera quanto o poema
...
musa

sábado, 22 de dezembro de 2018

POEMA A DOIS

O POEMA A DOIS

Movia-me nos lençóis
Entre sonhos proibidos
A tua língua, os teus lábios
Em desejos sentidos.

Palpitações localizadas
Enchiam meus tremores
Sensações de carícias
No meu corpo adormecido.

Sempre prazeres sonhados
Contactos quase proibidos
Tua boca absorvendo forte
Alimentanda a minha libido.

Abro os olhos e vejo
Os teus olhos que me olham
Me possuis, é teu
Aquilo que desejas.

Lambes, sugas
Como nunca senti
O prazer que me sufoca
É a vibração da tua força.

Queres beber de mim
Pedes-me com insistência
E eu me derramo
E vejo como te alimentas.

Sem deixares perder nada
Deste licor da vida eterna
Para no fim me soltares
E procurares a minha boca.

E compartilhares a essência.
Prazeres Insanos"

No seio de húmidos lençóis a deslizar
Sonhos proibidos e outras tentações
A língua, lábios, toda a boca a delirar
Desejos, sentidos, excitações

Locais secretos, profundos segredos
Discretos caminhos, tímidos tremores
Detalhes de gozo a seduzir entre os dedos
Na pele gotejando seda de suores

Ah! Esses prazeres de que falas, sonhas, doido querer
Quase libido explodindo, posse, desejo, loucura
A mais dócil e insana tortura
A sufocar vibrante de prazer

Luxúria ou divinal insanidade
Saciada a sede súplica insistência
Essa tão tua vontade intimidade
De compartilhar o grito, "la petite mort", a essência
... a dois…

musa

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

TODO TEU MEU CORPO

TODO TEU MEU CORPO

É o teu meu corpo adormecido
Que tomas entre as tuas mãos vazias
E despes de ausências obscuras e sombrias
Do todo o tempo por ti esquecido 

Por momentos abandonado
Ao sepulcro silêncio da saudade
Como se o presente fora passado
A esquecer na mortalha cumplicidade

Na brancura do leito húmido de prazer
A nudez corporal assim tecida
Na loucura do tear dedo a dedo a endoidecer

É o meu corpo que tomas de vontade 
Morrer em sensual palidez enrubescida  
Num beijo de profunda intimidade
...
musa

POESIA DO AMOR

POESIA DO AMOR

O amor por ti não dói
É dormente
Timidamente consente
Docemente
A mansa angústia
Leve desilusão
Premente

Dor anestesia
A louca melancolia
De insano sentir
Sofrer e permitir
A ténue nostalgia
De assim existir
O sofredor
E a poesia

Ou o meigo amor
Magnanimidade tortura 
Intimidade ternura
O tempo a transpor
Eternidade
Verso cumplicidade
E a transbordar
Doçura
Plena do olhar 
A amar perdidamente
Sem sentido
Como quem se diz da loucura
Insanamente
Adormecido 
...
musa 

DEAMBULAÇÕES


DEAMBULAÇÕES
Deambulo mansamente
Para não me perder
Perdidamente
No equilíbrio das reticências
Armadilhas da memória
Fujo corro pulo
Divagações impaciências
Por entre os silêncios da nossa história
Escuto-te calado
Perdido no tempo
Sem saudade nem glória
Um grito amordaçado
Um beijo por dizer
E o desalento
Um abraço sem querer
De profundo prazer
Violento
"Estar calado
Divagar pelo vazio
Sair temporariamente do tempo
Pensar que não há nada a dizer
Só pra não perder o pé.
Estar calado
Fugir para dentro de um silêncio interior
Navegar um espaço sem chão
Sentir a anestesia
Para não sentir a dor.
JC"
Talvez doa sem fingir
Afastados noutra dimensão
Um amanhecer a refulgir
E o tempo nos tenha aos dois
Entre a luz e a escuridão
Em movimento de sentir
Puro gozo ou paixão
Para depois
Consentir
Saber esperar
Como quem sabe amar
E no silêncio de um verso divagar
Sem nunca desistir
...
musa

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

DE LUZ

DE LUZ

Todo este tempo de espera é sangrar
Rasto de lúmen indecifrável
Abertura
Luz

Sentimento
Quimera
Olhar

A sombra imutável
Prestes a explodir
Branca loucura
Que conduz

Pensamento
Primavera
Provar

O fel das palavras em sentir
Na leitura aberta claridade
Insustentável intimidade
Secreta tortura eternidade
O éter existir
Da vida

Não sei se a felicidade
Já perdida
Ou a encontrar
...
musa

ENTRE OS TEUS BRAÇOS DE NOVO A PRIMAVERA

ENTRE OS TEUS BRAÇOS DE NOVO A PRIMAVERA

A luz sem tempo entardece
Dança sombreando hora a hora
De penumbra a nesga funda se demora
Entreaberta a porta que acontece

Ver-te entrar corço esquivo
No vale furtivo da brancura
A sussurrar um grito um uivo
O canto feitiço da loucura

E o vento da boca a lamber gulosa folhagem
Brisa aragem desassossego do rio
Desejo deserto em infindável viagem

De gozo amor prazer em paciente espera
O vale que há-de ser de luminoso a sombrio
Entre os teus braços de novo a primavera
...
musa