GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

A MUSA E O MESTRE

A Musa e o Mestre
Rui: Musa única mulher…  estais bem?
Musa:  meu MUSO… e tu estás?
Rui: Se eu estou bem?...
… Não…
Musa: o que se passa?
Rui: Estou no auge do sentimentalismo e da intolerância
  Rompi com esta sociedade decadente.
Musa: nada ganhamos com esse sentimentalismo intolerante
Rui: Estou de partida a qualquer momento… vou renascer…
Musa: para onde vais tu?
Rui: Segredo…
Musa: ensina-me a voar daqui…
Rui: Não se ensina… aprende-se… quando chegar a tua hora te consegues libertar… a minha hora é chegada…
Musa: acho que serei para sempre prisioneira do tempo…
Rui: Só do tempo?... quero levitar…
Musa: às vezes levitamos ou julgamos levitar e as coisas terrenas perdem sentido depois nos sentimos perdidos entre a terra e o universo como se aqui não pertencessemos…
Rui: Para quem já viu o sonho deitado fora por motivos alheios...
  Pois não fico mais para assistir ao fogo de Roma.
Musa: tua mente te domina além das tuas próprias forças
  a batalha é dentro de ti
  o campo de batalha és tu mesmo
  este mundo exterior é apenas suporte das tuas investidas menos ousadas…
Rui: Pois quero que este mundo exterior desabe, mas longe de mim…
Musa: sentirás o sal…  ainda que doce…   amargará nas tuas preces…   não renegues este mundo…   enfrenta-o…
Rui: Já estou a amargurar!
Por isso que o enfrento no sentido de encontrar o Éden…
Musa: tu tens o éden dentro de ti…
 Rui: Primeiro pequei, agora quero o éden.
Musa: mas ele está dentro de ti…
Rui: Eu sei… mas eu o quero também exterior a mim…
Musa: que buscas tu… homem…
Rui: Busco o frescor da manhã, o calor do meio-dia, a pele da virgem, o odor da vulva em deleite, o sono de Baco…
Musa: tu és o meu poeta…
Rui: Achas?
Musa: faríamos um belo dueto…
… a escrever…
Rui: Porque não começamos?
Musa: tu já começaste… (Busco o frescor da manhã, o calor do meio-dia, a pele da virgem, o odor da vulva em deleite, o sono de Baco… lindooooooooo)
Rui: Pois… resumo em palavras o que me vai na alma… já dizia Camões (famoso fodilhão do Oriente!)
E tu que me contas… musa nua no seu divã provocante e cor-de-rosa.
Musa: serei assim tão transparente tal o poder das palavras?
Rui: Acho que és!
Musa: serei essa tal senhora do livre arbítrio?
Rui: o livre arbítrio é a ditadura para os ignorantes…
Musa: quando penso no que era… e no que tu me transformaste…
Rui: Ficam com inveja do que és…
Musa: mais do que isso
Rui. Não fiz nada… apenas inspirei…
Musa: Tu rompeste-me do casulo… jamais serei perfeita…
Rui: Desabrochei a MUSA para o mundo…
Musa: ainda mais fechada no seu mundo…
Rui: Pus a musa na tela… para que todos a pudessem ver e ver nela o que nunca querem ver…
Musa: e hoje…
  tal é o fascínio por essa musa
  que o desassossego a consome
 Rui: E hoje tento encontrar a musa perfeita… mas ela não aparece.
  Estou rodeado dela como Zeus.
  Mas elas são infinitamente complicadas.
 Musa: tu moldaste-me a tua imagem?... era assim que querias a musa?
 Rui: de musa?
 Musa: sim… a endoidecer quem a lê
 Rui: sim… e deixa-la doida também.
  Assim o tenho feito.
Musa: é um desassossego infinito… quanto mais tenho mais quero
  … prazer por prazer
 Rui: Eu descubro as musas, apalpo-as, sinto-as, excito-as, me delicio com elas…
 Musa: sentidos completamente delapidados…
Rui: Não só prazer, mas crescimento...
  … as musas são seres mitológicos... deusas...
 Musa: em cada homem por prazer… colho poesia
 Rui: divindades... quero-as como o ar que respiro.
  … não vivo sem musas.
  … não consigo viver sem imaginar os seios contornados de uma musa.
 Musa: deste-me uma cana de pesca e ensinaste-me a pescar…
… mas acabo sempre por devolver os peixes novamente ao rio
  … e fico sempre com fome
 Rui: Pena que Vinícius de Moraes não se encontrou com uma verdadeira MUSA!
…  Pois estás a procura de um MUSO!
 Musa: TU ÉS O MEU MUSO!
Rui: Talvez só no teu imaginário.
 Musa: foste tu que me criaste…
 Rui: Pois fui.
… Cada milímetro de coxa, cada calor que se aproxima, cada instante que respiro o teu odor... oh! Musa, abre-te, quero te...
 Musa: possa eu ser eterna em teus delírios
  devassa o quanto baste em teus martírios
  de formas de musa lapidaste o teu desejo
  usando buril dos lábios com que deste teu beijo…
 Rui: Eu não resisti, aquela mulher entrou pela minha sala, tão estúpida mentalmente, mas tão mulher no seu corpo, eu pensei: vou violá-la.
… Mas não, cheguei bem próximo. Senti o seu pescoço, fitei os seus olhos, ela ameaçou gritar. Tapei-lhe a boca.
  … Beijei aquele pescoço, segurei a sua mão, não resisti àquela coxa...
  … que mulher...
Musa: ainda hoje pensas e deves ousar serenamente… provocas esse teu sentido lato…
  … obrigas-me ao encanto do mais pranto gozo farto
 Rui: Em segundos eu já estava a sugar aquela vulva que era propriedade de um inculto.
 Musa: e te deitastes nos meus cabelos como se fosses homem
…  ainda que menino a aprender…
 Rui: Ela nunca havia sentido o cheiro e o desejo de um verdadeiro homem como eu.
 Musa: nada sabia… mas muito queria…
Rui: A possui naquele chão frio que ardeu de tesão e luxúria.
Musa: cama ardente de mel salgado… com seu falo alado a prendeu…
Rui: Ela viu se naquilo que sempre sonhou: gozar com um macho.
 Musa: e no escuro do leito humedecido   a fez ser seu sentido
  … sagrado ateu
…  doce profano
Rui: Que imenso prazer ter profanado aquela musa rebelde e ao mesmo tempo refém de toda uma estrutura decadente chamada igreja, casamento, família...
 Musa: que riso ensandecido escorreu do sexo empapado
 Rui: E aquela vulva a prender o meu órgão em repetidos orgasmos que ela nunca os tinha sentido...
Musa: achou-se ela em si e no macho consagrado
… e fez-se musa desse desejo consentido…
… uma oração a brindar doido pecado
 Rui: Pois assim a vida tem sentido.
… e mais uma musa que desabrocha para o mundo.
… Minha musa única mulher.
  Vou me deitar agora.
  Aparece mais vezes.
 Musa: vai sim… eu também vou…

... QUE FIQUE ENTRE NÓS O PACTO DE SANGUE PELA SENSUALIDADE DAS PALAVRAS SANGRADAS DE DESEJO E PURA SEDUÇÃO...
MUSO (consultar no dicionário) …  Palavra inédita para exprimir sentimento de gratidão pelos admiradores das musas renascentistas.
Musa & Rui

1 comentário:

Antonio Mariani disse...

Fantasioso dialogo filosofico dell'eros.
ciao