GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

BEIJO SEM NOME

Não posso dar-te um nome
Chamar-te meu amor
Sentir-te assim
Moras-me o mais íntimo do ser
Amas-me matas-me a fome
Cobres-me inteira de prazer
Desabrochas dentro de mim
Fazes do meu corpo flor
Rio que corre sem fim
Até à foz do alvor
Beijo carmim
Doce aurora
Tua boca

E deixas em mim floração louca
Primavera que na pele se demora
Em lagos do olhar sedução
Um jardim de flores por abrir
Botões de rosas carnais
E na tua boca fazes-me vir
Sorvendo delírios punhais
Cortas de um rasgo tesão
A flor proibida
Húmida mão
Gume

Nos teus lábios o lume
Acendendo a fogo ardente
Na doçura do azedume
Liquido e quente
Da lava indecente
Que verte na flor
E em doido amor
Chamo teu nome
Mato a fome
No teu meigo olhar sedutor
Ardendo incendiado
Florido sentido
Doido pecado
Proibido

musa

1 comentário:

lilian disse...

Uauuuuuuuu,,Sublime poesia!!

Me deixas sem palavras..só no sentido , na imaginação.....

Bjus Musa