GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

segunda-feira, 18 de julho de 2016

HÚMIDO VERSO... ao João...

HÚMIDO VERSO

Na flor da noite apetecida
Era o gozo do último verso
A tentação assim sentida
Olhar no teu imerso

A mão pétala de amor
Inebriante ternura
Em agitada loucura
Rasto desejo e odor
A marcar excitação
Na pele do universo
Furor seduçao
A boca o verso

A noite que atrapalha
De angústia e desalento
Fria e fina poalha
Profetiza ritual
A dor é o tempo
Húmido torpor
Saudade carnal
Do louco amor
Em perdido juízo
Quando preciso
musa 

4 comentários:

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

Um poema recheado de desejo, paixão, luxúria e erotismo....
Eu te gosto muito Musa... Te acho uma poeta sensacional...
Pena que a admiração não seja recíproca...!!!!
Adoro - DE FATO - teus poemas!!!

MUSA RENASCENTISTA disse...

PEQUENOS DELITOS renovados

Admiração pelo teu sentir onde quer que seja sentidos em sensualidade domada de palavras na pele do verso à flor do desejo...

Um beijo poético

musa

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

Faça do teu gozo, o teu verso
E eu faço de ti o mais perverso.
Amar-te noite d dia sem juízo
E te abro as portas do paraíso.

Faço-me teu desejo pela noite
E sinta, da minha língua, meu açoite
Teu corpo é tinta, luz e aquarela
Onde pinto a paixão, a mais bela.

MUSA RENASCENTISTA disse...

TELA FANTASIA

Para o
PEQUENOS DELITOS RENOVADOS

“Faça do teu gozo, o teu verso
E eu faço de ti o mais perverso.
Amar-te noite e dia sem juízo
E te abro as portas do paraíso.

Faço-me teu desejo pela noite
E sinta, da minha língua, meu açoite
Teu corpo é tinta, luz e aquarela
Onde pinto a paixão, a mais bela.”

Na tela a tinta escorre um rio
Luxúria desejo e paixão
A pele paleta de gozo e cio
Humedece as cores de excitação

Em carnal devaneio sensualidade
Pinta a boca caricias loucura
Dando pátina à nossa intimidade
Feita de sentidos e ternura

Olho-a e parece-me o quadro perfeito
Os traços da luz em fantasia
Sinto ainda as tuas mãos sobre o meu peito
Pintando a mais bela poesia

musa