GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

PRAZER NASCENTE – para ti meu cavaleiro andante V…

Trazes na boca o mel saliva
Um rio erótico de tesão
Fazes de mim tua diva
Em gozo excitação
Na tua mão

Há um prazer nascente
A percorrer-me quente
A pele que sente
Esse quase vir
Quase sentir
Quase ter
Quase ser
Quase

Tão louco prazer
Na tua boca nasce rio
Na minha boca faz-se cio
De caricias a florescer
Louco poderio

Faz de mim tua nascente
Nessa língua febril
Desliza lentamente
Possante viril

Teu ágil membro gostoso
Faz derramar cio viscoso
De lavas odores gozação
Entrega rendição
Em ondas de desejo
Tudo começa num beijo
Em dócil excitação

Alimentando vontade animal
Devorando vontade carnal
Delirando vontade descomunal
Explora consome devora
Esse quase vir que demora
Na ponta dos dedos
Nos seios relevos
Na língua no sexo
No olhar perplexo
Deixo-me ter

Levas-me à loucura
Em profundos gemidos
Acordas meus sentidos
Quase uma tortura
Devassos gozos de pudor
Abocanhas o meu queixo
E eu deixo

Invadires entranhas
Tremulas estranhas
Doces sensações

Fazes-me vir tantas vezes multiplicadas
Âncora no cais das nossas bocas

fazer do teu mastro vela... e navegar teu corpo em vagas de excitação... fundear de beijos a tua boca e deixar a tua âncora chegar as minhas profundezas

Falo e clitóris ardendo
Fogo aceso derretendo
Nossas vidas tão loucas
Mar imenso profundo denso oceano de águas turquesas

Alucinantes fantasias sexuais
Nossos corpos palcos sagrados
Nossos sentidos provocados
Em doidos insanos rituais
Bocas famintas de prazeres carnais

 No ímpeto de nossas loucuras
Trocamos carícias lambidas
Enlaces de carinho e ternuras
Abraços beijos afagos mordidas
Até cairmos desfalecidos
Completamente rendidos
Em dormentes olhares vagos
Quase prazer dor
Fazes de mim doce amante
Em mais um alucinante
Instante de amor

musa

2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Quente... muito quente...
Querida amiga, tem um bom resto de semana.
Beijo.

MUSA RENASCENTISTA disse...

Grata Nilson Barcelli... ADOREI O SEU BLOG...

BEIJOS POETICOS DA MUSA