GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

sábado, 4 de agosto de 2012

SERENIDADE



Alimentas cálice de serenidade
Sémen sagrado enleio sentir
Altar profano de cumplicidade
Vens-te sereno sem eu te pedir

Sossegas corpo e alma turbilhão
De todo gozo deixado acontecer
Numa prece de loucura e tesão
Rogamos na pele súplica de prazer

Tantos dos nossos sentidos desfeitos
Onde não cabe o amor profanidade
Cumprirei contigo todos os leitos
Até ser eleita na tua santidade

Meretriz do teu desassossego
Senhora da tua inquietude
Companheira do teu segredo
E dona de uma só virtude

Serena desprendida do pudor
Arvoro em ti uma solidão apetecida
Faço-me do teu querer fazendo amor
Contigo sou e sinto-me compreendida
musa

2 comentários:

Manuel Pintor disse...

Não sei se influenciado pela serenidade, que tanto aprecio... considero este um dos melhores e mais sensuais poemas que aqui li|

MUSA RENASCENTISTA disse...

Grata pelo sentir...

Beijo poético da musa