GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

BAILADO DE ANCAS

Vou cavalgar-te
Potro selvagem
Balançar quadris
Levar-te numa viagem
Fazer-te feliz
Vou dar-te os cabelos
Seguros na tua mão
A minha crina
Soltos em sedução
Meus sentidos perdê-los
Afagos de doce menina
E no teu olhar a tê-los
Balanço de ancas e peito
Que de desejo fulmina
Em prado verde do leito
Neles selvagens quero vê-los
Olhar onde cavalgo e me deito
Bailado de ancas
Duas alavancas
Fazem teu ritmo intenso
Em louco cavalgar
Garupa loucura
Fazes vibrar
Meu desejo imenso
Dança de ternura
Corrida excitação
No teu colo me perder
Gozando o teu tesão
Em dança de prazer
Deixar acontecer
Louca emoção
musa

2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Poesia equestre...
Ou a arte de cavalgar em toda a sela...?
Em qualquer caso, gostei muito do poema. Sensual, quase erótico...
Beijos.

MUSA RENASCENTISTA disse...

Grata em poesia

sensualidade fantasia de cavalgar sentidos em palavras...