GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

domingo, 23 de outubro de 2011

INTENSIDADE DO SENTIR

Sei que não és só falo
Não és só fauno
Talvez homem

Quando me dizes:
“Mas tu és grande no sentir no viver …
Puxo-te para mim, por eles… com intensidade
… e depois abraço-te para te sentir respirar…”

Sentir do verbo amar
Ainda que o lado obscuro da lua
Comprometa todo esse sentir
Esse teu querer-me só e nua
Seja o teu falo a pedir
O meu lado iluminado

Ainda que o meu olhar provocado
Seja somente a imaginação
Parte do teu querer
O desejo incendiado
De luxúria tesão
Inflamado prazer
Sem um pingo de paixão
Em vibrante estremecer
Assim deixado acontecer
Sem receio sem temer
O lado obscuro da provocação

Existe a intensidade do abraço
Existe o aproximar do olhar
Existe o tocar das bocas

Imaginação
Horas insanas e loucas
Que eu faço e desfaço
Numa teia de tear
Imaginando esse abraço
Apertado até me cansar
Até te sentir
Sem ter que te pedir
Sem ter que implorar
musa

2 comentários:

JC disse...

sim

MUSA RENASCENTISTA disse...

sim... o teu sentir

a tua sensibilidade

os teus sentidos

e a floresta por descobrir...