GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

sexta-feira, 16 de maio de 2014

PARTITURA DE SENTIDOS

PARTITURA DE SENTIDOS

És um vulcão soluçante
O cavalo convulsivo
Do meu sentir
A nota presa delirante
O gozo permissivo
Do quase vir
Em partitura de sentidos
Soluços gemidos
A mão a consentir
Pauta de vontade
Compasso sedução
Doce descomprimir
Desejo tesão
Cumprir
Notas musicais
Delirios carnais
Excitação
Prazer
Mão
Foder
...

musa

4 comentários:

joao qarlos disse...

Desperta-me
E apaga-me esta ânsia
Sê o vento nas minha brasas
Quase extintas
Sê fogo onde eu sou cinzas.

MUSA RENASCENTISTA disse...

... quem és desconhecido... com alma de Poeta..

Anónimo disse...

Aflorei apenas ao de leve
à despedida
os teus lábios doces como nenhum mel.
Lá fora o mar rugia
eu não te via
estavas vestida e eu de pé.
Só te via nos meus sonhos sempre raros
em que o calor nos apanhava puros,
mas não ali.
A vida fugiu para outros rumos já sem nós
os meus sonhos cederam ao tropel dos dias
e só tu continuarias exalando o fogo
com que só nessa fugaz despedida me aqueci.
É por isso que te envio isto - cinzas
aquilo que resta desses sonhos que nos demos.
Mas volto como quem parece que se foi
frio, distante, oco, calado
e sempre só
exigindo sem gratidão o mais generoso do teu corpo
como um náufrago de águas geladas
a quem já não é possível nem sonhar
esse calor que despertou e sentiu em tuas pernas.
Ah, que volte a maresia
que o sol me aqueça - e tu!

MUSA RENASCENTISTA disse...

... há nas tuas cinzas a intimidade respirada em sedução de versos um mar do teu sentir em busca de uma ilha lá longe... onde os sentidos se fazem mar na terra por cumprir... e o céu saberá de nós em cada instante que o pensamento se fizer ventania... ou somente a tua poesia que teimas em deixar nem abraço de silêncio...