GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

domingo, 18 de setembro de 2011

ALVORADA DO SENTIR

Alvorada
Pele eriçada
Aurora do sentir
Madrugada
Um olhar
Teu sorrir

Derretendo estrelas
Intenso fulgir
Profundo brilhar
No firmamento
De mãos paralelas
Em consentimento
Galáxia de sentidos
Doce proibir

Pensamentos perdidos
Dócil existir
Insaciável vontade
Desejos primitivos
Louca insanidade
Em nós consentir
Nos lábios gemidos
Sussurrando universos
Sóis de tesão

Cometas de versos
Em cauda sedução
Fronteira de mundos
Preliminares lonjura
Nossos sentidos profundos
Coexistir loucura

Aurora de mil cores
Carícias de ternura
Poetada pó estrelar
Sensual sentir de amores
Via láctea do olhar
Sentir madrigal
Alvorada
Corporal
Luminosa
Virginal
Radiosa
Catedral
Procurada
Roseiral

Aurora florescendo à flor da pele
Caminho imenso sensual
Sentidos a anos-luz do desejo
Sal húmido sentir de mel
E dizer…
que tudo começa por um beijo
e acaba num buraco negro de prazer…
musa

2 comentários:

Lord disse...

O alvorecer sempre foi um momento único de energias recarregadas..e com vontade de regar os leitos e "rios rosadas"..

MUSA RENASCENTISTA disse...

Alvorada de mãos que se afagam para dar consentimento a todo um universo de sentir...

Grata em poesia my Lord...