GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

quinta-feira, 31 de março de 2016

DELICADEZA

A blusa transparente
O botão quase a abrir
Quase a tombar quase a cair
Vontade loucura quente
Poder tocar poder sentir
Uma tortura dolente
Obriga a pedir
Delicadamente

A pele contraída num arrepio
Hirtos os seios provocando
Quando a culpa é do frio
Duros os bicos arrebitando
Maduros os seios?
Só apalpando

A seiva vertendo da boca olhar
Poros salientes na pele delicadeza
Derretendo a salivar doce sobremesa
Gotas de chuva escorrendo a pingar
A língua veia acesa palpitante nervo a latejar
E o desfecho a incerteza
Por onde começar

Dois pomos atrevidos
Alter ego dos sentidos
Dois segredos por desvendar
Sumula de gozo e de gemidos
Dois rituais de prazer
Em delicado altar
De bem querer

Mamilos de fogo e gelo
Calor humedecido
O beijo acendê-lo
Ignição de excitação
Caminho perdido
Desejo desmedido
Jogo de sedução
Atrevimento
Duplicado
Delicado pecado
Contentamento
Só de vê-los
...

musa

2 comentários:

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

A sedução que uma roupa nos induz....
Um belo poema que me fez pensar.... e se eu pudesse abrir essa roupa e contemplar o céu????

MUSA RENASCENTISTA disse...

acredito... a beleza delicadeza de Belluci a traduzir sentidos...