GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

terça-feira, 28 de junho de 2011

DOMADA

Tesão aceso por uma musa
Que arde o mesmo desejo
Na mesma chama difusa
Por onde se sopra o beijo

Profundo animal belo sem pecado
Mas e… até quando insatisfeito
Querer ousado insano libertado
No sexo na boca no peito
Pecadora por actos palavras sentidos
Invasora de todo um ser em abandono
Descuidos caprichos pervertidos
De musa fêmea mulher sem dono
Em insanos prazeres consentidos

Reclamada em seu tesão exigente
Usurpadora de vontades erectas
Em suas mãos deixa e consente
Essas loucuras no olhar despertas

Até onde iria essa tua entrega
Serias tu domada capaz
Submissa dada cega
A um desejo fugaz
Terno gemido
Doce sentido
A crescer
Devagar

Te deixavas amar
Por loucura prazer
Deixando acontecer
Segredada ao ouvido
Profundo sentido
A palavra puta
Duas vezes dita
Ardente sussurro
Vontade maldita
Berro grito urro
A te entregares como tal
Impiedosa imortal
Misteriosa feiticeira
Assim domada
Seres a minha puta
Submissa amada

… descreve submissão
Descreve capricho
... descreve tesão
Usa as palavras profanas
As mais ousadas as mais insanas
Mistura a mulher a senhora a puta…
Em tons de indomável musa…
musa

3 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Excelente.
Apesar das palavras (ousadas) não cais na vulgaridade.
Gostei da sensualidade do poema.
Beijo.

Vilmar Barros de Oliveira disse...

Belo poema,
Exprime muito bem o desejo imerso no amor sempre necessário.
Gostei muito.
Beijo

MUSA RENASCENTISTA disse...

Gratos na sensualidade do sentir... poesia