GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

terça-feira, 3 de maio de 2011

RENDADO DE SENTIDOS

Há odores líquidos escorrendo num rendado de sentidos
Corpos suados tremendo de loucura excitação
Inebriante sentido em gotas de pele prazer
Molhando teu olhar de desejo
Humedecendo tua boca de tentação

Sim… palavras quentes murmuradas nos ouvidos de cada um
Fantasias inusitadas dançando na mente afogueada
Há duas línguas que se procuram
Mãos que exploram os corpos suados
Bocas que se desejam em mil vontades
Provar de todos os líquidos, sucos e sabores


Vontade de... ser-te esta noite manjar sobre a pele... mais logo devoro-te...

Vontade de te
Beijar
Lamber
Apalpar
Penetrar

Neste momento iria calmamente lamber o teu sexo, língua e dedos para sentir bem o teu sabor…

Desinquietas-me…

Hoje estou um pouco ordinário sim… louco nas palavras mais mundanas do sentir…

Também me desinquietas e dás tesão imenso nesta sedução de nos fruir… a dois…


Não resistem as saudades
Trémulas ânsias ao desejo
De acolher o teu corpo
No abrigo meu peito
Acolho-me no portal do teu olhar
Recolho-me na ombreira
Serena do teu ventre
Sorvo deleite
Do teu ser...
Mais abaixo
Onde desassossegas
Todo o teu querer
Nada mais importa
A fraqueza dos gestos
Que atraem seres
Ao prazer
Desejo
Tesão

Importa sim é tu sentires as vontades impregnadas nas palavras
E dos sentidos teres parte do sonho que une nossas mentes nesse prazer de sonhar...

Nisso não há problema, sinto a vontade, o meu corpo sente a vontade.
Cada vez que leio as tuas palavras visualizo os nossos corpos unidos pelo desejo

Imagino as minhas mãos a percorrer o teu corpo nu

... por seios e valados contornos e montanhas essas tuas mãos orvalhando a pele de mil e uma tentações...

Penso em ti...

A tua pele é suave como a seda
A tua pele tem um sabor doce e salgado.
Uma mistura de sabores que aumentam o prazer

Os teus bicos duros esperam pela minha boca que os vai mordiscar e chupar

… desassossegas-me...

Tu também

Queres percorrer o meu mastro com língua e mãos?

... entre os teus joelhos a tua mão segurando meus cabelos
Fêmea selvagem crina ao vento
Rédeas ao teu comando teus olhos vibrando
Desejo em correria no gume da língua solta
Sobre o teu falo fio de saliva
Desprende teu gozo arrepiado
Dócil nas minhas mãos
Vai e vem num galope prestes a explodir...


A explosão vem pouco depois
Ondas de prazer antecipam sentir
A saída da minha seiva
Não aguento, não quero aguentar
Estou prestes a deitar tudo para fora

Para onde pergunto-me
Na tua boca?
Entre os teus seios?
No resto do teu corpo?


... um rasto de gotículas marca território sobre o corpo ensandecido....
… quero mais...
Da masmorra do vulcão ergue-se túrgido endoidecido
Vai pingando ventre seios pescoço
Derramando sobre os lábios leite espumoso de tesão...

Agora estou cheio de tesão
Porque te estou a ver
O leite derramado nos teus lábios
Selo a explosão com um beijo na tua boca
Mas a verdade do beijo…
… é que as tuas mão recomeçam a acariciar
O meu pau que vai ficando duro.

Desço com  a boca, perco algum tempo nos seios
Desço novamente em direcção do teu sexo latejante

Incendeiam-se odores vitrificantes na platina das peles coladas
Vibram excitadas nas mãos desbravando novos caminhos
Bocas sexos afogueados dançam em chamas de tesão...

... sinto a tua respiração perto de mim...
Nas minhas costas o bafo quente da excitação
As tuas mãos dançando na minha pele
Ao ritmo do teu sexo desenfreado
Como te sinto excitado e duro
Molhando de fogo o frio do tesão
Que habita entranhas escaldando
Pelo teu mastro erguido vitorioso
Nessa penetração...

Excitadíssimo...
Vontade de beijar-te toda da cabeça aos pés
Vontade de te deitar de costas, pôr as tuas pernas por cima dos meus ombros
E penetrar-te…

Escorrem sentidos em cio faminto de bocas mãos olhares pele com pele num suor tépido resvalando curvas de corpos excitados...

Estou excitado

Gostava de poder teletransportar-me para junto de ti e apertar os teus seios, descobrir as tuas coxas suadas… teu sexo molhado teu corpo suado sedento de prazer…

Eu tenho algo frio por debaixo das calças. Terei de ir ao wc e acariciar-me… pensando em ti?

… excitas-me...


Fazes humedecer sentidos rendados
Bicos enrijecem debaixo da blusa transparente
E as coxas suadas colam-se a cadeira
Num aperto contraindo excitação...

… quero-te...

Tesão comanda-nos ensandecidos
Saboreio o teu sexo novamente
Sabores intensos de sal e mel
Néctares que me dão prazer
Os meus dedos exploram
Levo-os húmidos até à tua boca
Para que os chupes

Agora quero penetrar-te
Bem fundo
O meu caralho precisa da tua cona…

Perdidos retomamos os mesmos caminhos
Guiamos mãos desbravando poro a poro
Molhamos de beijos contornos corporais
Amamos insanos de sagrados e profanos sentidos
Desencaminhados e destemidos
Gozamos infindáveis prazeres
Para nunca mais sermos iguais
Donos de nossos quereres
Sempre mais e mais
musa

1 comentário:

AS CORES DA ALMA disse...

amiga amei seu blog, lindo e sensual, estou te seguindo pra me deliciar com amis calma cada vez que te ler, vem conhecer os meus 3 blogs: as cores da alma, a essência da alma, e alma do silêncio, e me seguir tbém se for o caso, beijos amada!!