GRÃO DE MALÍCIA

A minha foto
Miramar, Norte, Portugal
GRÃO DE MALÍCIA … poemas escritos de desejos e divagações... onde está a poetisa... que vai escrever os poemas memórias de sentidos tidos… onde está a poetisa...que escreve poemas, nua ao pé da cama, que os interrompe para beber inspiração? … sou apenas quem está mesmo por detrás de ti... com a boca colada ao teu ouvido, segredando-te pequenas coisas que tu sentes...de olhos fechados. ana barbara sanantonio

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

OLHOS VENDADOS

… apesar de silencioso… continua o turbilhão na alma e… nas calças… Terás de os resolver… não importa se com a boca se com a roupa rasgada… para te possuir num qualquer canto…

Sobre o chão ajoelhada
Numa prece sedução
A cara vendada
Pela fita negra
Tapada

Atrás de ti… meu tesão

Que o jogo comece
De emoção às escuras
Olhar vendado tece
Pelas tuas mãos maduras
A colher frutos doces
Resplandece
Paixão

A teia de mistério desejo
Imagino tuas mãos perdidas
A boca em súplica de beijo
E as minhas consentidas

Por esses caminhos lavrados
Na pele arder de vontade
Nunca os olhos fechados
Conheceram tanta saudade

Desse corpo em fogo
Na loucura do jogo
Quase pecado
Quase rendição
Quase prece

A pele em convulsão
Tu ao meu lado
Como a aranha tece
Fio imaginado
Sua teia de sedução
Nosso querer amanhece
Enredo-te em louco tremor
Gozas perdido prazer
Na escuridão ouço riso clamor
Um orgasmo acontece
Deixamos outros acontecer
E já alma estremece
O corpo delira
O sexo é lira

Nas tuas mãos dedilhado
Melodia vendada
Toque musicado
Flor desfolhada
Acordes orgasmos
Doces espasmos
Propulsão

Firmamento estrelas brilhando
Uma nova constelação
Sentimos a vir
Os corpos dançando
Nesse sentir
Quase um universo
Fazemos amor
Já não é sexo
É rima do verso
Refrão a compor
Acorde disperso

Por entre a poesia
Alvorada querer
Teu desejo consenti
Ai… como ousaria
Agora... 
Te ter
Aqui
musa

1 comentário:

Antonio Mariani disse...

Splendida prosa dove l'amplesso diventa magicamente poesia.
antonio